Fechar pesquisa

Mais artigos

Na feira - OOZ To Mars!

Escrito em 09 Ago 2015

OOZ To Mars

Os nossos amigos do OOZLabs, que depois do ano passado publicaram uma série no YouTube sobre como construir quadcópteros, tencionam trazer à Maker Faire um projeto que simula o controlo de um rover numa missão a Marte, transmitindo sequências de comandos por uma ligação remota e acompanhando o desenrolar da missão.

Como parte da submissão enviaram-nos uma das apresentações de projeto mais originais até agora e têm estado ativamente a divulgar o seu projeto e a Maker Faire, pelo que decidimos entrevistá-los.

Mas antes, eis o vídeo de apresentação do projeto:

Quem são o OOZ Labs?

A equipa é constituída por três pessoas: Luís Correia, Nuno Correia (sem relação direta) and Nuno Nunes (idem) que se conheceram através da comunidade de Twitter em Lisboa, nos eventos do @twittlis. Entre esta comunidade alargada com múltiplos interesses rapidamente se formou um pequeno grupo de pessoas mais focadas na tecnologia e seus aspetos… práticos.

O nosso skill set vai desde administração de sistemas a carpintaria, incluindo músicos amadores, filósofos de bar, fotógrafos de fim-de-semana e inventores loucos, tudo distribuído por três pessoas.

Decidimos criar este projeto - os laboratórios/oficinas One Over Zero - para partilhar conhecimentos e experiências com a comunidade Maker de língua portuguesa, e talvez mesmo ensinar algo útil!

Basilio no AKI

E de onde é que veio o @baiavieira?

O Basílio é uma espécie de catalisador para tudo o que é extraordinário, e é um prazer tê-lo a bordo :)

Como é que tiveram esta ideia?

Uma boa parte da nossa leitura diária é sobre DIY, Arduino e Raspberry Pis, pelo que estamos constantemente submersos numa espécie de puzzle de ideias. A robótica está aparentemente de novo na moda, e um fascínio pela creatividade e engenho envolvidos na exploração espacial insipiraram-nos a trazer esta ideia para a bancada.

Queríamos fazer algo interativo, pelo que tínhamos de fazer algo que se mexesse ou que fosse simplesmente parvoíce. Chegaram a ser discutidas ideias como fazer uma photo booth ou um tabuleiro de xadrez gigante em que as peças seriam movidas por um ou mais robots… enfim, o dia a dia de malta idiota!

Como é isto de mostrar um projeto de robótica a um público que vem com outro intuito?

Achamos que o mais interessante é as pessoas poderem interagir em vez de simplesmente olharem para dentro de um aquário e baterem lentamente com o dedo no vidro. O ano passado houve conversas engraçadas com alguns dos visitantes e ficámos com a ideia que as pessoas gostariam de interagir… meter a mão na massa!

Rocker-bogie test

Quais são os principais desafios deste projeto?

Em termos de hardware, provavelmente a suspensão rocker-bogie do rover, porque a parte eletrónica e motores em principio já está delineada e as nossas preocupações iniciais com o consumo energético à partida foram ultrapassadas.

Em termos de software, certamente ter todos os bugs resolvidos antes da feira. Pretendemos ter a experiência de estar no comando da missão de um rover em Marte. Isso implica uma forma fácil de comunicar o problema da distância Terra-Marte e explicar a cada utilizador porque razão não se consegue controlar o rover como se fosse o carro dele.

Também tencionamos dar ao rover alguma autonomia, o que implica lidar com conflitos entre comandos do utilizador e decisões locais - ao detetar uma colisão iminente, o rover deve desviar-se sozinho, mas temos de demonstrar que o faz independentemente dos comandos do utilizador.

O maior desafio, portanto, é dar um ar credível à experiência, e fá-lo-emos acertando alguns pormenores da simulação.

Ah, e aturar o Basílio :)

E o que é que vos está a dar mais gozo em termos de projeto?

Anima-nos muito estarmos a construir um projeto para inspirar nos mais novos a paixão pela corrida ao espaço que foi agora relançada com as recentes missões a Marte. Gostamos de achar que isso fará o mundo evoluir de forma positiva tal como quando assistimos à aterragem na Lua ou à série Era Uma Vez o Espaço.

Além disso, o trabalho na equipa OOZ Labs confunde-se com diversão com amigos enquanto aprendemos a usar tecnologias como MQTT em linguagens de programação que não dominamos ou a conceber suspensões sem molas para veículos semi-autónomos com 6 rodas.

Podem saber mais sobre o OOZ Labs através do seu blog e canal no YouTube, ou segui-los no Twitter. Se tiverem coragem, também podem seguir o @baiavieira no Twitter

Comentários
comments powered by Disqus